Aversão a festividades??

Olá, pessoal!

Como foram de Natal?

Estive refletindo com meu marido sobre estas datas festivas e chegamos à conclusão de que elas são um saco e que se possível, não queremos mais participar de nenhuma delas. Fica aquela obrigação de ser legal, de ter que comprar presente pra meio mundo, de ter que estampar um sorriso falso no rosto quando o que mais você quer é apenas colocar as pernas para cima do sofá e ver um programa bem idiota na tv.

Quando minha mãe estava viva, o Natal sempre foi aqui em casa, já que ela era a grande matriarca da família. Nunca morri de amores pela data (nem por esta e nem por outras), mas confesso que toda aquela animação dela desde a arrumação da árvore de Natal até a escolha do cardápio eram contagiosas. O Natal era a cara dela. Quando voltei em 2019, o Natal foi aqui em casa, como de praxe. Foi animado e minha mãe estava muito, muito feliz. Desde 2008 eu não passava um Natal junto com ela, se não me engano. Então, ela estava radiante. Tomou cervejinha e bebeu até uma taça de vinho. Depois do almoço, disse que estava cansada e ia deitar. Ela realmente estava feliz. E isso me deixava feliz. Ano passado, ela já não estava mais conosco. Meu bebê tinha acabado de completar um mês de vida. Eu, ainda me recuperando de uma infecção pós-parto, meu marido com Covid isolado no quarto e nosso Natal foi bem triste, em casa. Este ano, vi que a data se aproximava novamente. Já não havia mais ninguém com Covid em casa, meu bebê já havia completado um aninho, mas não havia nenhuma empolgação. Apenas um sentimento vazio de obrigação. Minha mãe já não estava mais aqui. O Natal era ela. E ela era o Natal. Ela amava receber as pessoas e cozinhar para elas. Eu odeio cozinhar e odeio que venham na minha casa. Meu marido, gosta de cozinhar, mas odeia receber visitas. E mais um Natal se passou, já planejando um plano de fuga para o Ano Novo. Mas, este ano não vai dar para escapar. Ano que vem, quem sabe. Já estamos planejando como fugir do Natal. Mas antes, ainda tem a Páscoa, os aniversários que as pessoas cismam em comemorar….

Mas eu adoro casamentos. Só que ninguém do meu ciclo casa. Nenhum casório á vista. Na Índia, sempre havia um casamento. Como as pessoas casam na Índia!! E eu adoro os casamentos indianos. Ou seja, eu não sou tão antissocial ( agora é com ss, né?) assim. Talvez eu precise apenas de cores, música e estímulo. Talvez o peru do Natal já não me atraia tanto quanto um butter chicken.

Não sei. Só sei que quando a gente passa um tempo inserido em outras culturas, aquilo que parecia importante para você, já não é mais. Você aprende outros significados, outras maneiras de celebrar, de existir…ou de simplesmente…fugir.

Um ótimo 2022 para todos!! Cada um no seu quadrado, de preferência.

Publicado por Banjara Soul

Este blog é para compartilhar um pouco das estórias e memórias que acumulei ao longo destes 12 anos neste incrível continente chamado Ásia. Hoje, de volta ao Brasil, mas com a Ásia no coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: