O sequestro do noivo

Já imaginou estar em sua casa, assistindo ao seu canal favorito, quando de repente, chega um grupo de pessoas armadas e, do nada, te sequestra? Parece terrível, eu sei. Mais terrível ainda, por ser um sequestro sem fiança. O pagamento? Casar-se com uma moça da família dos sequestradores. Tudo isso pareceu loucura para você? Para a maioria dos indianos, também é. Menos para alguns que seguem esta tradição de abdução de noivos, nos estados do Bihar e na região de Eastern UP.

Pakadwa Shaadi, como é conhecido, parece ser uma prática mais comum entre as castas Yadava e Bhumihar, da região mencionada acima. O Bihar, que já foi o berço da cultura na Índia e levou conhecimento para várias partes do mundo, há tempos perdeu a majestade e tornou-se um dos estados mais pobres do país. Os estudiosos acreditam que tal situação ajudou a criar práticas como o casamento por sequestro ou a incentivar crimes por dote.

As principais vítimas do casamento por sequestro, são, em sua maioria, jovens que trabalham para o governo, pois na Índia, ter um emprego no governo, também é sinal de estabilidade. E, como muitas famílias não podem pagar o dote por suas filhas, elas acabam optando por esta prática.

Se você ficou interessado no assunto, deixo aqui a dica de um filme que está disponível na Amazon Prime: Antardwand.

por Banjara Soul

Publicado por Banjara Soul

Este blog é para compartilhar um pouco das estórias e memórias que acumulei ao longo destes 12 anos neste incrível continente chamado Ásia. Hoje, de volta ao Brasil, mas com a Ásia no coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: