Paraguai- Primeiras impressões

Quando dizia que iria ao Paraguai, sempre ouvia uma das duas perguntas: ” –Vai fazer compras?” ou “Tem parente lá“? Gente!Desde quando precisamos ter parente em algum lugar para visitá-lo? Você só iria a Paris se tivesse um parente lá? Não, né. Mesma coisa comigo. Decidi ir à Assunção justamente pela curiosidade de pisar em um país tão próximo, cujo trajeto pode ser feito de ônibus, mas ainda tão desconhecido e com escassos relatos pela internet.

Por isso, agora que estou aqui em Assunção, resolvi escrever um pouco sobre as minhas primeiras impressões sobre o país. Vou dividir em tópicos, para ficar mais fácil de ler.

Atravessando a fronteira– Foi super simples. Paramos na Ciudad del Este para nos apresentarmos na Polícia Federal (paraguaia), ganhei meu carimbo no passaporte e, voltei pro ônibus. Não levou nem 10 minutos.

Chegada em Assunção: A rodoviária é bem simples e parece mais com uma rodoviária de cidade do interior. Aproveitei para trocar dinheiro com os “cambistas” que ficam sentados pela rodoviária com suas maquininhas. Parece fake, mas eles são genuínos. Pode trocar. Porém, não troque muito. Deixe para trocar em uma casa de câmbio profissional. Troquei o suficiente para pegar um táxi e comer. Ah! Tem wi-fi na rodoviária, mas só estava funcionando quando voltei, para pegar o ônibus para Buenos Aires. Quando cheguei, não consegui acessar.

A foto não ficou nítida, mas acho que deu para ter uma ideia de como é a rodoviária de Assunção.

Acomodação: Assunção possui hotéis e albergues para todos os gostos. Escolhi o hotel boutique Paseo Del Arte por dois motivos: Por ser uma casa linda e por ficar próximo a shoppings e lojas, já que chegaria em um domingo e tudo estaria fechado. Mas, se você chegar em um dia de semana ou sábado, pode muito bem ficar no Centro de Assunção, o que, seria mais recomendável, na minha opinião.

O interior do belo Paseo Del Arte

Preços: Hoje, dia 13/01/2020, um real está valendo 1,560 guaranis.

Segurança: Achei a cidade bastante segura. E, vale comentar que há bastante policiamento no centro da cidade, principalmente. Vi alguns moradores de rua sim, mas nenhum chegou a me abordar para pedir dinheiro. Não sei como seria à noite, já que sou uma pessoa que praticamente não sai à noite.

Comida: A comida é muito parecida com a do Brasil e tem aquele gostinho de comida de vó. Tem uns ensopados deliciosos, além do maravilhoso frango a milanesa. Vale mencionar a chipa, que é uma espécie de rosca salgada, que pode ter sabor de nada ou de queijo. É bem gostosa e vai bem com café.

O ônibus parou na estrada e de repente uma moça entrou vendendo estas chipas, super quentinhas. Delícia!

Pessoas: São todos muito simpáticos, amavéis e prestativos. Estava sem chip local, então, acabei contando com a boa vontade e simpatia do povo paraguaio para me locomover dentro da cidade, sempre perguntando o caminho e recebendo dicas de lugares e direções.

Curiosidades: Por mais que eu já soubesse disso, não deixei de me surpreender com:

# A quantidade de gente tomando mate nas ruas. Sempre, com o kit mate e cuia, tchê!

# O espanhol dos paraguaios não é dos mais fáceis de se entender, sobretudo quando eles misturam o guarani no meio da frases. Mas, mesmo que não o façam, é um sotaque bem interessante, o qual lembra o português algumas vezes, sobretudo o “R” puxadíssimo, como no interior de São Paulo e outros estados.

# Achei os paraguaios discretos, tanto no vestir como no agir. Não vi a mulherada pelada pelas ruas, nem de shortinho-calcinha, como vejo aqui no Rio de Janeiro. Quando usavam shorts, era sempre de maneira decente.

# Todos os pontos históricos podem ser conhecidos à pé. Sim, o Centro Histórico de Assunção é pequeno e você consegue conhecer tudo em um dia, mesmo entrando em museus e outras atrações.

Só a cara da derrota no calor infernal de Assunção.

# Tudo é muito calmo em Assunção e, se você está procurando por um lugar para sair da loucura da cidade grande, pode ser uma boa opção, pois é uma cidade que tem de tudo que um grande centro pode oferecer, mas em uma proporção bem menor. A cidade inteira parece com uma cidade interiorana do nosso país. Simples, mas muito aconchegante.

Vale a pena ir à Assunção? Esta é a pergunta que todos me fazem. Se você é uma pessoa que já viajou algumas vezes para fora do Brasil, não vale a pena ir só para Assunção, porque acredito que vá achar bem sem graça. Mas, se você é uma pessoa que nunca viajou para fora do Brasil e quer um país próximo para começar ou, se você vai combinar Assunção com outro destino na América do Sul, então, vale a pena incluir a capital paraguaia em seu roteiro.

Um dos belos murais de Assunção

Se ficou curioso, faça uma visita ao meu canal do Youtube, se inscreva e ative o sininho para receber vídeos não só da viagem ao Paraguai, mas de todas as cidades por onde passei neste mini mochilão pela América do Sul.

Um abraço e até a próxima!

por Banjara

Publicado por Banjara Soul

Este blog é para compartilhar um pouco das estórias e memórias que acumulei ao longo destes 12 anos neste incrível continente chamado Ásia. Hoje, de volta ao Brasil, mas com a Ásia no coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: