Viajando com pets na Índia

Olá, pessoal! Hoje venho contar a vocês como foi a nossa saga para viajar com nosso dois gatos pela Air India, saindo de Bangalore e indo para Mumbai.

Você, brasileiro ou falante de português, que deseja viajar com seu animal de estimação na Índia, tenha em mente algumas coisas:

  1. A Índia não é um país pet friendly, por mais que pareça, já que adoram vacas e ratos.
  2. Somente a Air India permite que os pets voem na cabine com você, inseridos em suas devidas bolsas ou caixas de transporte e, de preferência, animais com menos de 5 kg (incluindo o peso da bolsa ou caixa).
  3. A Jet Airways permite que os animais viajem no porão do avião, com o custo adicional de 5,000 rúpias por animal. Porém, como a Jet Airways está mal das pernas e a Índia não é um país pet friendly como citei acima, eu não quis correr o risco.
  4. Das companhias de baixo custo, parece que a Spice Jet aceita que os animais viajem no porão do avião. Minha colega indiana de escritório, transportou os dois gatos de Bangalore até Delhi e os gatos chegaram vivos, graças a Deus.

Por mais que muitos indianos de classe média alta hoje tenham animais ( a maioria, cachorros), viajar com seus bichos não é uma tarefa fácil.

Antes de eu contar nosso relato do vôo e pré-embarque no famigerado Kempegowda International Airport, vamos falar primeiro, do que seu animal vai precisar para viajar dentro da Índia.

  1. Fit to fly certificate assinado pelo médico veterinário e cuja data deve ser, pelo menos, uma semana ou quinze dias antes do vôo (verificar com a companhia aérea, pois isso pode mudar).
  2. Vacinação em dia
  3. Vermífugos em dia

Não recomenda-se dopar os animais, já que cada animal reage diferente ao remédio e, devido a altitude e a pressão dentro da cabine, os resultados podem ser desastrosos. Portanto, só dê calmante ou qualquer outro tipo de tranquilizante se o veterinário assim o disser e, se for de extrema necessidade. Caso contrário, não!

Sakura
Leo….super estressado desde casa

Munido destes documentos, você terá agora, que chegar um pouco mais cedo do que o normal no aeroporto, no dia do seu vôo e informar no balcão da Air India que seus pets estariam viajando contigo. Como viajar com pets não é comum na Índia, não se surpreenda se o atendente parecer ignorante ou se não souber a diferença entre um gato ou cachorro. Eles também não saberão quais documentos você precisará e tão pouco qual o peso permitido para que animais viajem na cabine. Por isso, haverá muitas ligações do atendente para seu gerente, do gerente para não sei quem e, no final, claro, a autorização (ou não) do comandante da aeronave. Se ele disser que seu animal não embarca, então, prepare-se para sentar e chorar e planejar um plano B. Meu plano B seria comprar uma caixa de transporte e levar os gatos no porão. Há também, a opção de ir de trem, que é bem menos burocrática para transportar animais, porém, além de não se conseguir bilhetes em cima da hora, você só pode transportá-los na 1a classe.

Depois de muita tensão, um agente da Air India aparece e me chama para pagar a taxa dos animais. Sim, eles cobram como bagagem adicional. 500 rúpias por quilo. No total, paguei 6,000 rúpias pelos dois gatos.

As passagens dos meus gatinhos

Faltavam apenas 20 minutos para o avião decolar e , nós ainda estávamos dentro do aeroporto, pagando a taxa de bagagem adicional. Meu marido, já xingava seus ancestrais do Rajastão e eu, tinha certeza que não conseguiríamos embarcar. O agente, me respondeu que sim, e garantiu que o vôo estaria esperando por nós. Meu Deus! Já imaginei o avião inteiro xingando a gente, amaldiçoando meus animais….enfim, aquela cena Bollywoodiana.

Mas, uma das partes mais tensas, ainda estava por vir. A parte de passar com eles pelo detector de metal. Primeiro, a policial que estava ali, perguntou o que era naquela bolsa. Eu disse: “Its a cat!” Ela entendeu: “Its a cake!” Ficou cinco minutos achando que era um bolo e eu tentanto explicar que era um gato. Meu marido foi e falou em hindi, que era um gato e não um bolo. Aí, ela se assustou. Não sabia o que fazer, mas queria que eu enfiasse os animais no detector de metais junto com as bolsas e eletrônicos.

Eu e meu marido, claro, recusamos e explicamos que isso não poderia ser feito, devido a radiação (e você acha que ela tem alguma idéia sobre radiação?). Enfim, um oficial de segurança chegou para acabar com aquela palhaçada. Deu uma bronca em todos os outros pseudo seguranças e disse para nós: – “Desculpe o incômodo. Eu sei que vocês têm todos os documentos e sabem muito bem o que é necessário para viajar com um pet, mas esse povo aqui é muito ignorante e precisa aprender uma lição”. Depois de dar um sermão nos seguranças, ele pediu cada um dos documentos e mostrou a eles como deveriam ser conferidos. Ainda explicou como os animais deveriam ser retirados das caixinhas e passados, junto de seus donos, pelo detector de metais e, não, na máquina, junto com as malas.

Não foi fácil passar com os gatos pelo detector. Eles ficaram desesperados. Sakura, que passou com meu marido, agarrou no pescoço dele e a camisa dele rasgou. Leo, que passou comigo, ficou num desespero total, mesmo de coleira, criou um pandemônio, me arranhou e eu entrei no vôo sangrando em dois lugares.

Pensam que acabou? Parecia que até o último minuto, aquela merda de cidade chamada Bangalore não queria deixar a gente ir. A decolagem foi tensa, com muita turbulência e, Leo, tadinho, se chacoalhava dentro da bolsa. Finalmente, depois de uns vinte minutos de tensão, o avião estabilizou. Mas, os gatos começaram a miar incessantemente, principalmente Leo, que estava nitidamente, odiando aquilo tudo. Fiquei com muita pena dos gatinhos, mas é o que eu digo: Uma vez adotados, adotados para a vida toda. Ou seja: A hipótese deixá-los para trás, jamais passara por nossa cabeça.

Apesar de todos os contratempos e o stress, mesmo não sabendo direito da política de pets, todos os funcionários da Air India se esforçaram ao máximo para que pudéssemos embarcar com nossos gatinhos.

E, de brinde, a passageira do meu lado gostava de animais e ficou perguntando várias coisas sobre os gatinhos e sobre os procedimentos para viajar com eles.

Meus gatinhos chegando em Mumbai. Ufa!

Finalmente, chegamos em Mumbai e fomos para a Airbnb, onde, finalmente, meus gatinhos poderiam comer, dormir e usar o banheiro.

Mas, a nossa saga estava só começando!!!

Ainda tinha o vôo Mumbai- Rio de Janeiro, o qual eu conto em uma próxima oportunidade, pois só de lembrar já me dá calafrios!!!

por Banjara

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.