Oriente x Ocidente – Uma estória de amor- Parte 4

Olá, pessoal! Como vocês me cobraram a continuação da nossa novela paki-brasileira, eis que aqui lhes apresento, o 4o capítulo desta trama envolvendo Brasilene e Paquinaldo.

brapaki

Brasilene acordou ansiosa e ainda nas nuvens. Mal poderia esperar para reencontrar seu amado e ir conhecer a cidade com ele. O único meio de comunicação entre os dois seria o antigo aparelho de telefone do hotel, ao lado do qual, Brasilene esperava ansiosa uma ligação de seu amado. Paquinaldo deveria pegar Brasilene pela manhã para irem passear em algum canto. Este foi o combinado. Porém, as horas se passaram e Paquinaldo não aparecia. Aflita, mas sem querer incomodá-lo, Brasilene esperava ansiosa a ligação de seu amado ou, sua inesperada aparição na espelunca onde ela estava hospedada.

Cansada de esperar, Brasilene liga para Paquinaldo, mas sem sucesso. Já bastante irritada, ela resolve pegar sua bolsa e dar um passeio. Afinal, havia vindo de tão longe e não queria ficar trancada no quarto do hotel. Sendo assim, Brasilene começou a passear pelo bairro onde estava. Mas, não queria ir muito longe. Afinal…e se o Paquinaldo ligasse?

Após o passeio e um breve almoço, Brasilene resolve voltar para o hotel e, assim que chega, vai direto à recepção saber se seu amado tinha ligado. Para sua surpresa, ele tinha ligado justamente no momento em que ela não se encontrava no hotel! Imediatamente, Brasilene liga de volta e, Paquinaldo pergunta onde ela esteve. Ela explica que foi dar uma volta, já que ele não dava notícias. Ele pediu desculpas e disse que estava com seu tio do Paquistão, que havia chegado e queria conhecer um pouco alguns lugares.

Brasilene ficou irritada. Afinal, ela também tinha vindo de longe e merecia tanta atenção quanto o tio do Paquistão. E, também queria conhecer a cidade! Porque ele não a levara junto com seu tio do Paquistão? Porque esse tio do Paquistão tinha que vir logo agora bem na época que ela estava ali? Eram muitas perguntas sem respostas e uma cultura demasiado machista para que nossa Brasilene, nascida e criada no Brasil pudesse compreender.

Paquinaldo acalma Brasilene dizendo que naquela noite, eles todos sairiam para jantar. Ela, ele e o tio, claro! Brasilene sonhava com um jantar romântico, momento a dois, mas…o tio estaria a tiracolo naquela noite. Será que seria assim até o final da viagem?Brasilene começa a ficar apreensiva.

A noite chega e, Brasilene se dirige até a estação mais próxima dali para encontrar com Paki e ….o tio. Achou que Pakinaldo fosse buscá-la no hotel, mas ele nem se deu ao trabalho. Pediu que ela fosse até a estação mais próxima encontrar com ele e o tio ali. Brasilene, ainda paciente, foi. Chegando lá, finalmente conheceu o tal tio, que foi muito simpático e pareceu gostar de Brasilene.

Foram até um restaurante paquistanês e, pela primeira vez, Brasilene provara aquela comida deliciosa, mas com tanta pimenta que a cada garfada, ela precisava tomar, no mínimo, uns 3 goles de água. Queria comer mais. Queria aprender a comer aquelas coisas diferentes e apimentadas. Queria aprender a cultura deles. Queria ser uma deles. Mas, a cada momento que passava, parecia que as diferenças culturais, tão explícitas, davam um tapa na cara de nossa Brasilene.

Continua…

 

Anúncios

7 comentários sobre “Oriente x Ocidente – Uma estória de amor- Parte 4

    1. Hahahaha…sim!! Terrivel ne? Mas so serve para mostrar o valor que a mulher tem na cultura dele se comparada a outro membro da familia (do sexo masculino, eh claro). Ai…escrever um livro eh meu sonho de consumo!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s