Prakash Kaur- a guerreira do Punjab

O estado de Punjab, desde a antiguidade, viu a ascensão de diversas guerreiras e figuras femininas proeminentes, como Mai Bhago, Rani Sada Kaur e Maharani Jind Kaur.

maharani maibhago

Estas mulheres, enfrentaram inimigos e exércitos para defender o seu reino. Hoje, muitos séculos depois, uma outra heroína surge em cena: Prakash Kaur.

realhero

Para quem ainda não a conhece, Prakash Kaur é a dona da ONG Unique Home, cuja função é receber meninas abandonadas. Crianças abandonadas? Não, não. Meninas abandonadas. Caso você não saiba, o Punjab é um dos estados onde o feticidio feminino é eminente e há uma desigualdade enorme entre os gêneros justamente por causa desta abominável prática.

A própria Prakash Kaur, foi abandonada pelas ruas quando ainda bebê. Desde 1993, ela resgata e cuida de meninas que tiveram o mesmo triste destino que o seu. As estórias de cada menina são chocantes. Algumas, foram abandondas assim que nasceram, sendo jogadas em ralos e esgotos. Outras, foram abandonadas pelos pais no meio de uma estrada.

i1-760x506

Porém, na Unique Home, elas encontraram um lar e uma mãe carinhosa, cujo amor não cessa. A idade das meninas da casa varia entre 4 dias a 19 anos. Prakash diz que o trabalho que ela faz, é a obra de Deus e que dele vem a sua força.

prakashkaur

As meninas estudam nas escolas mais prestigiadas de Jalandhar e não estão disponíveis para a adoção. Porém, acasa também se encarrega de cuidar de meninos abandonados, os quais sim, podem ser adotados.

Com o passar do tempo, Prakash foi sendo reconhecida e o seu caso foi abordado no famoso programa de TV Satyamev Jayate Asar, apresentado pelo astro Aamir Khan. Além disso, a esposa do bilionário Mukesh Ambani, Nita Ambani, já visitou a casa e declarou que os indianos deveriam deixar as meninas virem ao mundo, pois elas são o equivalente a deusa Lakshmi, que traz riqueza e prosperidade. E que toda menina deveria ser recebida de braços abertos assim como eles recebem a deusa.

lakshmi

Que este belo trabalho possa continuar e que, com o acesso à informação, as pessoas possam se conscientizar de que esta prática é maligna e que afeta ninguém mais ninguém menos que eles próprios, pois não acharão noivas para seus filhos, muito menos mãe para seus netos.

Um abraço e até a próxima!

por Banjara

 

Anúncios

8 comentários sobre “Prakash Kaur- a guerreira do Punjab

  1. Infelizmente o Punjab é um Estado que sofreu muito com a desigualdade entre meninas e meninos. A mulher acaba muitas vezes cedendo a pressão da família do marido para tirar a criança porque tem as “parteiras” e os “astrólogos” que “preveem”uma menina. Muito triste, inclusive o festival Lohri que é a festa para os meninos.

    Beijos!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ah faz sim, eu vou adorar saber, ao contrário da maioria meu amor pela Índia surgiu pela história de indianas, mas foi ao conhecer um indiano que então me lembrei desse amor, ele é sirk e punjab, mas muitos assuntos evito perguntar pra ele por medo de alguma forma ofender a cultura dele,e ele não gostar, ou ser a favor de alguma prática cruel, então fico pesquisando nas internet da vida. Obrigada pela matéria, ela foi meu presente de aniversário q foi ontem heheh. Bjs

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi, Claudia. Sim, entendo. Mas, se for para falar ou ensinar a cultura, os sikhs sao muito bons, porque eles tem muito orgulho de suas origens e historia. E…Feliz Aniversario atrasado!!Que Deus te conceda tudo o que seu coracao deseja e o que for para o seu bem. Um grande abraco.

      Curtir

  3. Ai meu Deus que coisa linda essas meninas, se eu morrer sem nunca puder ter pelo menos participado de um trabalho desse, vou crer q minha vida não teve sentido, quando eu tinha 12 anos e era em 93 eu li uma materia em uma revista sobre o feticidio indiano, eu q ppr foto achava os indianos a raça mais linda do mundo me choquei com oq li, tanto q escrevi uma carta de duas páginas para uma indiana qualquer, não lembro oq eu escrevi eu tinha 12 mas a inocência era de 7 kkk só depois fui pensar como eu ia entregar e como elas iam entender o meu idioma, kkk por frustaçao rasguei minha carta, espero q Deus tenha lido minha carta heheh q só Ele poderá realizar meu sonho, lendo isso voltei no tempo e me lembrei disso, e fiquei feliz de saber q exista quem faça esse trabalho q desejei tanto q existisse depois de ler aquela matéria .

    Curtir

    1. OI, Claudia!!!Nooossa…que estoria linda a sua!!Na verdade, eu me emocionei bastante enquanto lia e pesquisava o assunto. Eu tambem tenho muita vontade de trabalhar em alguma Ong que cuide de criancas ou que trate do empoderamento de mulheres indianas. Ultimamente, ando ocupada com o meu pequeno “mini-negocio”, mas assim que as coisas estiverem nos trilhos, eu realmente quero fazer algo assim. Um abraco.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s