O Japão e eu – Como tudo começou

Faltando menos de duas semanas para eu deixar o Japão, tenho andado muito nostálgica e, hoje, estava pensando em como tudo começou.
Vou contar um pouquinho para vocês da minha estória com o Japão. Hoje, a criançada e os adolescentes são bombardeados com animes, mangá e jogos japoneses. Na minha época de criança e adolescente, animes e mangás não eram comuns e nem era transmitidos pela tv brasileira, ainda.
Porém, ao invés dos animes, eles transmitiam as séries com os super-heróis japoneses. Quem não se lembra do Jaspion, Changeman, Jiraya?

jaspion

kamenrider

jiraya2
Sim, foram eles os culpados pelo meu 1º contato com o Japão. Mais precisamente, a minha série predileta: Black Kamen Rider. Depois vim a descobrir que o Kamen Rider é uma das séries prediletas dos japoneses, sendo exibida aqui desde a década de 70, diferente das outras séries que citei, as quais nenhum japonês conhece.
Os seriados, claro, eram dublados, mas geralmente eles deixavam a música de abertura no som original e, foi aí que tudo começou! Além disso, ficava fascinada vendo aqueles ideogramas passando pela tela da tv. Na época, nem sabia que o nome deles era Kanji.

kamenriderkanji Pronto!Já era tarde: eu estava apaixonada pelo Japão!
Ia para a escola e à tarde, já ligava para ver os episódios. Quando não dava para ver, gravava tudo em fita de vídeo. Sim! Eu sou do tempo da fita de vídeo. Do disco e da fita-cassete, também.

fitadevideo
Um belo dia, estava em casa e resolvo ligar a tv. Levo um susto quando vejo um programa com pessoas cantando em japonês e alguns vídeos clipes sendo exibidos. Nossa! Era tudo que eu queria! O nome do programa? Imagens do Japão, apresentado pela carismática Rosa Miyake e exibido na época, pela Tv Record.

rosamiyake rosamiyake2

 

Em um dos programas eles exibiram o NHK Kouhaku Utagassen, o famoso festival da música japonesa.O festival era o de 1992. Gravei e acho que assisti aquilo lá mais de 1000 vezes, sem exagero. Foi aí que eu conheci artistas como Smap, Kudo Shizuka, Fukuyama Masaharu (ele estava fazendo seu debut!), Hikaru Genji (eles ainda estavam na ativa) e mais alguns hits da música tradicional japonesa (enka), como Sake yo e Matsuri. Todos claro, fazem parte do meu repertório no karaoke. (rs)

kouhaku

Como não tinha a abençoada internet na época, o jeito era sair informações do Japão nos livros e enciclopédias e dando um jeitinho.
Queria muito estudar japonês, mas minha família achou que eu estivesse surtado. 10 anos de idade falando que queria estudar japonês? Que criança é essa? Acharam que era fogo de palha , mas eu continuei insistindo. Eles insistiam para que eu fosse estudar inglês, mas eu não suportava inglês e queria, porque queria estudar japonês. Mas, não havia nenhum curso que eu conhecesse. Então, resolvi entrar em contato com o Consulado do Japão no Rio de Janeiro. Escrevi que meu sonho era ir ao Japão e aprender japonês.
E…pasmem!Eles me responderam! Devem ter ficado comovidos com a carta de uma criança de 10, 11 anos falando que queria aprender japonês. Seja lá qual foi o motivo, o mais legal é que eles me responderam e ainda me mandaram várias revistas, panfletos e também a propaganda de um curso lá no Rio de Janeiro.

ICBJ

O curso se chamava Instituto Cultural Brasil-Japão. E, foi lá que eu passei praticamente toda a minha adolescência e início da idade adulta. Foi também lá onde trabalhei até 2007, quando fui selecionada para trabalhar para o governo japonês.
Como minha mãe achava que eu estava louca, ela só foi me matricular no curso quando eu já estava com 14 anos. E, claro, sob a condição de que eu também estudasse inglês. Ok, ok. Estudaria até esperanto para que ela me colocasse no curso de japonês. A espera até entrar no curso foi longa. Então, eu passava o dia com um folha de hiragana (um dos alfabetos da língua japonesa), e copiando-os no caderno. Até hoje tenho este caderninho. Está no Brasil. É um dos meus pequenos tesouros.

hiragana

  Nunca imaginei que um dia fosse realmente ser capaz de ler um jornal, uma revista, de entender praticamente tudo que eles falam. Isso é muito gratificante para quem ama estudar idiomas, como eu. Mas, mesmo passados todos esses anos, ainda há milhares de palavras e expressões que não conheço e, a cada dia é um aprendizado.

  Meu próximo passo é ler, escrever e falar fluente o hindi. E, depois, tamil (meu marido me mata!) e árabe (todos da família me matam!)

hindi

tamil

arabic  Resumindo…tem coisas que são difíceis de explicar. Não tem nenhum japonês na minha família, não tem ninguém casado com descendente de japoneses, não tem ninguém que seja um apaixonado por idiomas ou que tenha morado no exterior. Mas, do nada, eu fiquei atraída pelo Japão e sonhava em pisar aqui um dia. Não só pisar, como também morar. Acho que relembrando tudo isso, só tenho uma coisa a dizer a Deus, à vida, ao Japão:
Doumo arigatou gozaimashita!!!!

arigatou2

arigatou

 

Um abraço e até a próxima!

by Tabibito

Anúncios

16 comentários

  1. Olá!
    Acabei parando no seu site por um acaso maravilhoso! Sou de uma geração um pouco mais recente e ainda estou descobrindo o amor pelo Japão, mas com certeza ele vai crescendo pelos depoimentos que li aqui e pelas matérias que você escreve!
    Queria muito aprender japonês – não tenho nenhuma noção da língua – e queria saber em quanto tempo, mais ou menos, você conseguiu aprender…
    bjos

    Curtir

  2. Olá!

    Em primeiro lugar, gostaria de lhe parabenizar pelo Blog. Adorei as suas postagens, que foram muito esclarecedoras e em uma linguagem muito agradável.
    Sou uma pessoa apaixonada pelo Japão e gostei muito das dicas que você compartilhou. Se Deus permitir, pretendo conhecer esse país em breve.
    Mas algo neste post me chamou muito a atenção que foi a forma como você conheceu a cultura japonesa e se interessou por ela. Nisso também reconheci uma circunstância muito semelhante à minha.
    Nos idos de 1980, chegou à extinta Rede Manchete, os seriados japoneses Changeman, Jaspion e Jiraya e outros. Ainda criança naquela época, me encantei com o Japão e vivi bons e mágicos momentos brincando com os amigos.
    Hoje, quase 30 anos depois, ainda sinto uma alegria imensa ao rever os episódios dos tokusatsos preferidos e também um grande saudosismo.
    E, uma vez que você morou tanto tempo no Japão, gostaria de lhe fazer uma pergunta: por acaso, na televisão japonesa, os atores que viveram os Changeman, Jaspion e etc, ainda atuam? Eu cheguei a procurar por fotos atuais na internet, consegui algumas mas, infelizmente, outras não consegui. Exemplo: Sobre os Changeman vi algumas fotos mas, de acordo com as fontes de pesquisa, muitos atores se aposentaram da vida artística e é praticamente impossível conseguir uma foto atual deles. Isso procede? Caso tenha alguma informação, ficarei muito agradecida,
    Espero não estar te incomodando.
    Um grande abraço, parabéns novamente pelo blog e muito boa sorte em tudo que você empreender.

    Elciane Batista

    Curtir

  3. Sei exatamente como é isso. Eu me apaixonei e não sei o porquê. As pessoas me perguntam o porquê de estudar japonês (é a principal pergunta dos japoneses, a propósito kk) e eu sempre respondo “ah, é porque eu gosto da cultura”. Mas não é só isso, é algo inexplicável, indescritível. Sei lá.
    Espero que o Japão atenda minha expectativas e seja isso tudo que eu imagino. É um amor que não dá pra medir! Espero não me desapontar.
    E acho genial o fato de você não ser do tempo da internet e etc e ir atrás das coisas. As pessoas seriam muito mais úteis se não fosse essa maldita internet que estraga não só nosso cérebro em certos aspectos (tem seus lados positivos, eu sei), mas também nossos relacionamentos! Sou viciada desde os 11 anos e não tenho jeito. Viciada em Japão e internet, hahaha!

    Bjs e boa viagem de volta!! 🙂

    Curtir

    • Entendo muito bem a sua paixao, Bia!É mesmo muito gratificante poder realizar um sonho assim. Minha paixão pelo Japão e pela Ásia também não tem explicação. Uns falam em destino, outros falam em vidas passadas. seja lá o que for, eu quero viver intensamente cada oportunidade. Um abraço e obrigada por compartilhar sua estória com a gente. Beijos.

      Curtir

  4. Puuuuxa, vc desenterrou a Rosa Miyake! Ela e o marido dela antigamente traziam cantores japas pra fazer show no Brasil – até o Macchy “Gingiragin ni sarigenaku”, hahaha! Ela continua bonitona né? Esse cabelo louro fico ótimo nela!

    E fala sério, Kamen Rider é clássico eterno! Será que Fifi tb vai achar Kurata Tetsuo bonitão? :p

    Curtir

  5. Ola,sou a Melissa,encontrei seu blog atraves do indiagestao.Fazia tempo que nao entrava la,preguica de ler tantos posts negativos e esperava mais um depoimento detonando a India,mas que bela surpresa saber que vc gostou e mais,a Sandra nao barrou alguem falando bem rsss.Enfim,tambem moro no Japao,muito mais tempo que voce,sou casada com um paquistanes e apaixonada pela Asia.Tenho uma amiga que como vc é apaixonada pela cultura do Japao e me lembrou bastante sua historia com a dela.Vou ler mais e volto a comentar,beijossss!

    Curtir

    • Oi, Mel!Tudo bom? Obrigada pelo comentário!Há quanto tempo você está no Japão? Por acaso você tem um blog? Porque eu uma vez visitei o blog de uma moça brasileira que morava no Japão e era casada com um rapaz paquistanês. Será que é você? Um abraço e tudo de bom!

      Curtir

      • Estou mais tempo no Japao do que vivi no Brasil,22anos.Tenho um blog sim,esta desatualizado,mas estou tentando voltar,sera que sou eu rsss?www.liriojapan.blogspot.com

        Curtir

  6. Nossa, percebi que não estou tão velho pois minha febre pra estudar foram esse programas que você citou!! O Kamen Rider é o meu preferido!! Sobre o Tamil ainda vamos estudar juntos!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s