Casamento arranjado no Japao- parte 2

Como eu disse no post anterior, promover encontros entre casais é algo que gera milhões e milhões de ienes. É um grande negócio por aqui. Antigamente, tinha-se a presença dos nakoudo (仲人), que ficavam responsáveis pela procura do par adequado para cada um. Depois disso, surgiram as agências de omiai, e nestas agências, o negócio funciona da seguinte maneira: A moça ou rapaz vai lá e diz que quer casar e está à procura de uma companheira. Então, ele preenche uma ficha onde constam os dados deles, principalmente os que interessam às candidatas a noiva, como renda anual, profissão e escolaridade. Ele anexa uma foto ao formulário, deve pagar uma taxa por isso, afinal, nada pe de graça aqui no Japão e, pronto! Os agentes casamenteiros vão começar a busca pelo par ideal. Vão selecionar algumas candidatas e aí, vão marcar uma entrevista. No caso das moças, é a mesma coisa. Aliás, muitas costumam tirar duas  fotos de corpo inteiro: uma de roupa ocidental e outra, com roupa tradicional japonesa, quimono. Essas fotos, geralmente são próprias para omiai e, são tiradas por fotógrafos profissionais.

Dependendo da agência existem vários tipos de omiai. Geralmente, quando o dia do encontro chega, as duas famílias vão até um hotel chique e jantam ou almoçam juntos. Nesse dia, dificilmente a moça tem chance de conversar com o rapaz. Geralmente eles vão de quimono. Esses aí, são, hoje, os mais tradicionais e, muitas vezes, são feitos entre os próprios pais, que, geralmente são chefes ou donos de empresas. Então, eles conversam entre si e acham que seria um “bom negócio” se seus filhos se casassem. A moça é livre para decidir, claro. Afinal, não estamos mais na Era Edo. Esse tipo de omiai ainda acontece, mas geralmente, são entre famílias mais abastadas.

O que mais acontece mesmo hoje em dia são os chamados Kekkon Soudansho, (結婚相談所)Konkatsu (婚活) e Goukon. 合コン.

Quando eu cheguei aqui no Japão, pela primeira vez, em 2000, a moda era o Goukon. O Goukon nada mais é do que unir o mesmo número de rapazes e moças e algum restaurante ou bar e ali, tentarem achar sua cara-metade. Dura mais ou menos umas 2 horas, já que tudo no Japão tem horário marcado e, durante esse tempo, alémde comerem e beberem eles fazem vários joguinhos e brincadeiras que, aos olhos ocidentais parecem ridículos e infantis, mas eles adoram!Um dos joguinhos consiste em cantar uma musiquinha e trocar de lugar com o colega. Então, você vai, vai até…conseguir finalmente sentar perto da pessoa que gostou. Dali pra frente, é com os dois. Trocam telefones,e-mails, mas…se vai sair alguma coisa depois disso, aí,só Deus sabe!

Mas o negócio nestes últimos 6 anos cresceu tanto que hoje apareceram até outros termos, como Konkatsu e Kekkon Soudanjo. O Konkatsu é a mistura dos ideogramas Kon (casamento) e katsu (atividade). Ou seja, é a atividade que se faz para casar. Hmm…o que seria isso? Bom, nada é nada disso do que você deve está pensando! Konkatsu é um omiai mais moderno, onde as agências promovem várias festas e jantares só para essa finalidade: fazer com que as pessoas se conheçam e encontrem sua cara metade. A outra alternativa é recorrer aos escritório casamenteiros, chamados Kekkon Soudanjo.

No próximo post eu vou mostrar alguns vídeos relacionados ao assunto.Um abraço!

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s